Tag Archives: lesão

Treino Carnavalesco

14 fev

Eu não bebo alcool. Nada ideológico, religioso ou algo do tipo, só não gosto do gosto, simples assim. Outra coisa: não tenho a menor paciência para gente bêbada. Não só não cuido dos amigos que passam mal após exagerar na bebida como penso ‘bem feito’ quando surge uma ressaca braba. Tá, não vou ganhar o prêmio ‘Madre Teresa’ do ano, mas tenho os meus motivos.

Bebum

Tendo contextualizado a minha minha falta de paciência para bêbados, relato como foi treinar na orla leblon/ipanema em um terça de carnaval:

Fui treinar a noite na esperança de todos os bloco que por ali passaram já terem dispersado e também para me livrar do Sol (maçarico mode: ON). Havia muitos foliões na pista, mas estava até divertido ter uma paisagem tão diferente da usual. Achei engraçado correr desviando de marinheiras, super-heróis, chaves e piratas. É claro que a grande maioria estava alcoolizada, mas não havia sinal de confusão até que…

…um idiota sentado em um galho de uma árvore resolveu ‘brincar’ comigo. De longe já dava para ver dois imbecis trepados em uma árvore, aí comecei a ouvir : ‘Vai, corre! Vai, corre! ‘ (respira, carolina. respira e deixa passar) ‘Corre, FILHA DA PUTA!’

Como é que é?!!!!

Juro que pensei em parar e enfiar a porrada no idiota, mas provavelmente uma pessoa dessas não teria pudor em revidar e ir para a delegacia não estava nos meus planos, então continuei a correr.

Sério, como é que um homem xinga uma mulher dessa maneira? Só porque ele está bêbado ele tem passe livre para fazer o que quiser???  Rrrrrrrr só de lembrar dessa cena eu já fico nervosa de novo.
Obviamente terminei meu treino bem mais rápido do que o previsto, né? O pace que era para ser de 7:40 virou 6:40 de raiva no último Km. E não, isso não é uma coisa boa. Estou voltando de uma lesão e não posso fazer essa gracinha de diminuir o pace dessa forma.

Moral da história: lugar de treino carnavalesco é na esteira.

ps: to indo ali fazer uma aula de boxe para ficar mais calminha.

Alguém aí treinou no carnaval?

Eeeeee Macarena!

7 jan

MInha planilha de domingo era: 1 km de caminhada + 6 x 500m no pace de 8:00 com descanso de 2 minutos.
Meu primeiro pensamento foi: o que vou fazer nesses 2 minutos de ‘descanso’? É impossível eu ficar cansada correndo 500m nesse pace, vou dançar a macarena para esperar esse tempo passar… 

Oh pequeno gafanhoto, porque questiona os ensinamentos do seu mestre?

O treino foi na medida. Claro que não fiquei exausta, estou parada mas não sou sedentária, mas o treino serviu para lembrar como é correr no asfalto com um sol de 300 graus na cabeça e gripada. Treinar é isso. É correr em dias e situações que não são ideais já que o dia da maratona pode não ser o dia mais perfeito da vida.

Sacaneei (mentalmente) o treino mas ele acabou sendo perfeito para mim. Ótima maneira de começar o ano confiando e obedecendo o treinador 😉

Resultado final: feliz por estar de volta.

Babysteps

4 jan

A condropatia dominou o meu segundo semestre de 2012. Após diversos treinos estressantes e provas fracassadas pela dor no joelho, resolvi parar um pouco e consertar algumas coisas. Fiz os exames que precisava, alguma sessões de fisioterapia e voltei com força à musculação. Não gosto de malhar, acho entediante demais, mas é um ‘mal necessário’ para quem gosta de praticar esportes.

Para dar uma motivação extra, resolvi mudar de academia. Um novo ambiente com novos aparelhos e novos professores é sempre bom para dar um gás, né?

Meta para 2013. só que não

Meta para 2013. só que não

 

Junto ao fortalecimento muscular, comecei a me preparar psicologicamente para a minha volta aos treinos. Sempre achei a corrida um esporte ingrato, a gente se acaba para tirar 10 segundos do pace e com 1 mês de molho lá se vai um minuto inteiro a mais no relógio.

Promessa de 2013: não faltar a musculação e fazer exatamente o que o treinador mandar. Nada de querer acelerar antes do tempo.

Fiz meu primeiro treino pós-molho ontem: 3km a 8:00. Treino fácil feito sem cansaço, sem stress e principalmente sem dor.

Amém.

O molho, a teimosia e o pace

31 maio

Mudei de academia. Agora estou em uma estilo ‘smart fit’ que só tem a área de musculação e os aparelhos são super modernos. Não ligo muito para isso, o que me motivou mesmo a mudar foi o fato de não ter tempo limite para o uso da esteira, como havia na academia antiga.

Pois bem, lá fui eu toda faceira fazer meu treino de 8Km na esteira nova e super high tech. 8km, né?  Mal consegui fazer 4 =(  Ai que raiva! A esteira ‘rouba’ descaradamente na velocidade. Enquanto marcava no visor 8,2 Km/h eu tinha a total certeza de que estava a 9 km/h ou mais. Sem contar e a bandida tem uma inclinação impossível de tirar. Resultado: o treino foi uma bosta. Para completar, no domingo seguinte (22/05) o meu longão foi de 20km. Delícia. Comecei a sentir dor no quadril por volta do Km 15 e assim fiquei durante toda a semana.

Minha planilha da semana passada estava bem leve para ver se a dor passava. Não passou. Fiquei de molho de segunda a sábado e fui correr a Mizuno 10 Milhas de teimosa que sou no domingo.

Durante a prova eu senti um certo desconforto no começo, mas depois que o sangue esquentou ficou tudo bem. Tão bem que fui no pace da querida Stein e fechamos 10Km no melhor tempo da vida: 1h10 !

Embora a prova fosse de 16Km eu preferi seguir a planilha que o treinador mandou e parei no Km 12. Tá tudo bem, corri mais um pouco no final pra ficar bonita na foto (chegar andando é muita derrota).

Então é isso aí, estou confiante com o pace, com raiva da academia nova e bebendo nimesulida (antiinflamatório) no gargalo.

 

And that’s what you missed on glee.