Tag Archives: asics

Nem sempre o melhor é o melhor para você

26 fev

FIz todos os meus treinos de maratona e a própria com o meu querido GT 1150, mesmo depois da prova ainda rodei bastante com o pobrezinho e agora ele passou para a categoria de ‘tênis de musculação’.  Depois dele eu comprei um Adidas que nem lembro o modelo, só lembro que era pronado e estava na promoção. Não gostei muito, mas corri 1 ano com ele. Agora eu tenho um Kayano 18 que ganhei no concurso cultural da Equipe Filhos do Vento + Asics e quer saber? Estou com saudades do meu GT.

Imagem

Todo mundo diz o Kayano é um excelente tênis e tudo mais, mas eu estou treinando com ele há 2 meses e parece que ainda não pegou o ‘formato do meu pé’.  Dizem que ele é mais pesado, mas no meu turtle pace isso não faz muita diferença, o que faz diferença é o conforto e o amortecimento e até agora eu me sinto desconfortável e o meu joelho dói (tá essa última parte não é culpa do tênis).

Alguém tem alguma dica para o tênis pegar a forma do pé? Também aceito indicação de promoção de GT.

Regra de Ouro

27 jun

Todo mundo que corre já ouviu dizer que ‘não se deve deixar para testar nada NOVO durante uma prova’. Eu também já ouvi esse conselho, mas fui estúpida o suficiente para não segui-lo.
Ontem eu tive o prazer de participar da Meia Maratona Golden Four, da Asics. A prova estava muito bem organizada, com hidratação, gatorade e banheiros a cada 3Km. A temperatura estava agradável e o percurso diferente (recreio-são conrado) serviu para distrair a cabeça com as maravilhas naturais dessa cidade.
Ok, onde entra a estupidez nessa história? Pois bem, minha caixa do Excced acabou e fiquei sem Gel para a prova, no desespero comprei um GU no sábado à noite para uma emergência. Eu nunca havia tomado GU, mas todo mundo sempre falou super bem desse gel, que ele é mais concentrado, mais gostoso, dá mais energia, etc. Alguns maníacos ainda tem a indecência de comparar o GU de chocolate com musse. (blasfêmia!)

A Nina me levou 2 Exceed no domingo e lá fui eu encarar os 21Km com 3 géis presos no cós (elástico) da bermuda, já que eu não tenho nenhuma pochete para guardar as tralhas e o bolso do cinto de hidratação é micro (além de não haver necessidade de levar garrafinhas para uma prova dessas).

Logo no começo da prova eu fui mexer no meu MP3 Player (desculpa, não tenho ipod), que também estava preso no cós, e acabei perdendo um sachê do Exceed no caminho. Tudo bem, ainda tinha mais 1 dele e 1 GU. Tomei o exceed lá pelo km 7 e deixei o GU para o 15. Realmente, o GU é mais concentrado, mais pastoso e dá bastante energia. O gosto é tão ruim quanto o de qualquer outro gel e a textura é aquela de catarro mesmo, só que mais espesso, do tipo fim de gripe (eca).

Eis que no Km 19 eu começo a sentir cólicas abdominais absurdas. Daquelas de fazer suar frio e rezar para todos os santos para que não te deixem cagar na calça (e ainda por cima em público!). Eu estava dentro do túnel quase chegando em São Conrado e não havia nenhuma moita, cantinho ou qualquer lugar onde eu pudesse perder a minha dignidade com o mínimo de privacidade.

Jesus, como eu sofri!

Então, junto com a luz do fim do túnel e com a organização espetacular da prova me surge um banheiro químico! (thank you Lord)

Pelo estado do banheiro eu não fui a única a passar por tal situação desesperadora.  NOJO! Mas pelo menos eu teria privacidade e papel higiênico. Fiz o que tinha de fazer e saí correndo em direção a linha de chegada.

Maldito GU! Lição aprendida.

O resultado foi 21km em 02:35 (tempo oficial) e uma história tragicomica para contar.

 

 

 

Podem rir, eu deixo.